A quem interessar possa - passo o ponto

Sábado , 20 de Março

Eu acredito em muitas coisas
Muitas delas são bobas
Mas me dão mais conforto
Do que as coisas em que as pessoas costumam acreditar
Eu acredito que as coisas têm sentimento
Acredito que todo mundo faz ou fez algo de importante
Mesmo que seja para o lado errado
Acredito na condição da gente ser feliz
Que é a condição que a gente mesmo faz
Acredito que tem uma estrada
E a gente segue nela
Mas que pode parar se quiser
E respirar
Caso não consiga acompanhar o ritmo
E que pode simplesmente parar
Se encher o saco
Acredito que todo mundo pode fazer alguma coisa boa
Mesmo sem querer
Afinal até mesmo um relógio parado
Está certo duas vezes ao dia
Acredito que o que acredito
Vai ser bom algum dia
Acredito que um dia o homem
Só será subordinado ao seu coração
E que mesmo assim
E por isso mesmo
Não vai mais desreispeitar ninguém
Acredito que a gente não precisa de tanto para ser feliz
E que um sorriso ás vezes vale mais que um carro
E que um abraço é melhor que um bolso cheio
Mas tem gente que cisma que não
Acredito que um dia a gente entra nos eixos
Nem que isso demore mil anos
E que isso não tem nada a ver com deus
Afinal tantos deuses já nasceram e morreram
E a gente não pode fazer nada sobre isso
Acredito que os animais não foram feitos para nós
E que a gente não tem direito sobre eles
Por mais que a gente esteja acostumado com isso
Acredito que um céu azul faz bem
Mas que mais que o céu
O que faz bem é a gente
E que o amor pode sim ser bom pra mim
Acredito em muitas coisas
E muitas delas são bobas
Mas boas
(pelo menos prá mim)

Desculpa aí aos poetas, mas eu não sou boa nisso... É só pra mostrar que eu já estou melhor. Valeu pela força!


Escrito por Giu às 11h46 PM
[] [envie esta mensagem]


Sexta-feira , 19 de Março

 Estou se sentindo triste sem motivo. Talvez medo. Eu gosto de coisas seguras. Gosto da rotina. Tenho medo de mudanças. Tenho medo de que não gostem de mim. Tenho medo de não ser lembrada. Tenho medo de não me notarem.  Eu tenho medo de tantas coisas que às vezes acho que eu vou ficar paralisada de tanto medo. Tenho medo de ficar sozinha, de não ter amigos. Tenho medo de me perder. Tenho medo de chorar na frente dos outros. Tenho medo de ser infeliz como sempre fui. Tenho medo de acabar descobrindo que, no final, agumas pessoas foram feitas para serem tristes mesmo. Tenho medo de Deus existir. Tenho medo de estar errada. Ah, tenho muito medo de altura, tenho medo de não conseguir chegar ao fim de nada.
Mas acho que é só TPM.
Escrito por Giu às 2h02 AM
[] [envie esta mensagem]


Quinta-feira , 18 de Março

 Tou adorando ter um blog. É uma experiência e tanto para quem sempre teve medo de e expressar como eu. E eu queria agradecer a todos vocês que vêm visitando e comentando sempre. Hoje meu blog faz 2 meses e passamos das 3 mil visitas.
 Agora, uma coisa que eu nunca faço, mas vou agradecer agora para as presenças mais constantes por aqui:
Leandro (Depois dos vinte), William (Rebelde depressivo), Luís (17/08), Edu (Enquanto o mundo explode), Gilka, Babi (Aconteceu na babilândia), Soldier, GG (A abadia), Gigu (Cabaninha), Sibele (Galileu Galileu), Danjel, Ruppel, Marcello (Fala sério!), Matt (Túnel do tempo), Tássia, Zeck, Lu (Pseudo-epifanias), e todos os outros... Um grande beijo, do tamanho do mundo e do talento de vocês!!! ^^
Escrito por Giu às 6h57 PM
[] [envie esta mensagem]



DIVULGAÇÃO DA CAMPANHA: CALA A BOCA E BEIJA LOGO!

Apoiando a campanha que conheci no blog do Leco, Depois dos vinte!!!! Vamos lá, gente, vamos apoiar!!! Prá que tanto blábláblá??? hehehe...! Beijos a todos, de todos os tipos, tamanhos, gêneros, gostos... Beijar é muito bom!

PS: Hoje é aniversário de dois meses do meu bloguinho, não é legal?!?! ^^


Escrito por Giu às 12h53 AM
[] [envie esta mensagem]


Quarta-feira , 17 de Março

Alguém mais odeia os estados-unidenses? Principalmente o panaca do Bush? Porque eu odeio, e muito. Agora, essa que o Clinton poderia ter pego o Bin (ó a intimidade). Foi só eu ou mais alguém acha que isso é só para enfraquecer os democratas nas vésperas das eleições?

Por falar em só eu, alguém mais ligou o apelido que o Pedro Bial deu para a Solange, Rainha Sol, ao rei absolutista francês, Luís XIV, o Rei Sol? Porque eu liguei. Estou ficando louca? Minha mãe acha que sim.

Ah! Estou tendo que dormir cedo porque senão NUNCA que eu vou conseguir levantar às quase cinco da manhã quando começarem as aulas... Então só vou poder fazer minha ronda pelos sites de vocês nos fins de semana... Vocês me perdoam??? =o* Beijos a todos queria parabenizar o Leandro! Quando eu entrei você estava na lista do UOL! Beijocas!


Escrito por Giu às 10h18 PM
[] [envie esta mensagem]


Domingo , 14 de Março

TEXTO RETIRADO DO BLOG Catarro Verde - link aí do lado...

NEM TANTO ASSIM
[Lya Luft, em Pensar é Transgredir, 2004]

"Neste começo de milênio somos tão diferentes das mulheres antigas?

O que mudou em nós? Tudo será agora tão positivo como nos dizem, e foi outrora tão ruim como parece?

Afinal, na Idade Média havia tecelãs inscritas em sindicatos; em todas as épocas mulheres cultas escreviam, debatiam, influenciavam seu meio. Embora sempre em quantidade bem menor do que os homens, não eram exceções tão raras quanto nos parecem.

Onde foi parar a história dessas que administravam propriedades e bens quando os maridos iam à guerra, transmitiam a tradição oral da sua gente, eram depositárias de lendas, praticavam medicinas (muitas vezes sendo consideradas bruxas), parindo e educando os futuros guerreiros e mandantes do seu povo?

Rainhas ou mulheres de senhores feudais participaram de campanhas bélicas, ao lado dos maridos, ou lutavam em seu lugar quando eles precisavam combater em outra parte; séculos atrás, na Europa, mulheres não se dedicavam apenas às intrigas da Corte, mas algumas davam cursos públicos de retórica, falavam latim, conheciam teologia e filosofia. As poucas hoje comentadas só aparecem como esposas de seus maridos famosos. (Joana D'Arc teve o nome perpetuado por si mesma: foi preciso que morresse queimada numa fogueira inquisitorial).

Houve toda uma camada de existência organizada, administrada, transmitida pelas mulheres: hoje inicia-se essa escavação, essa arqueologia, reconstituindo o fio que nos foi cortado.

Quais as complexas razões de essas vidas permanecerem na sombra? Foi apenas porque "os livros de história foram escritos por homens", portanto não abrem lugar para nada de importante realizado por mulheres? Acho simplória essa explicação. Eles seriam tão poltrões que não cederiam à mulher o seu devido lugar nos fatos do mundo?

Premida por desejos e necessidades, pondo-se em busca de trabalho e realização além daquela doméstica que aparentemente lhe cabia por destinação, a mulher afinal percebeu que era mão-de-obra desqualificada. Saiu a campo para preparar-se, quando sua situação anterior se cristalizara há um bom tempo. Nem passaria pela cabeça do até então amo e senhor que a mãe de seus filhos pensasse em pegar um emprego, e também a ela isso provavelmente não ocorreria com frequência.

Mulher não "trabalhava fora" a não ser que fosse muito pobre, ou tivesse um marido incompetente para a sustentar. "Mulher minha não trabalha" era dito com certa satisfação ou arrogância. Hoje, em grupos de jovens mulheres, olha-se com certa piedade a que "só" fica em casa.

Isso pode levar a uma inversão exagerada.

Ficar "só" em casa será mesmo tão pouco assim? Ser "apenas" mãe desses filhos, administradora dessas contas e projetos pode não satisfazer plenamente quem sente em si potencial para muito mais que isso.

Mas será uma função inferior?

Que compensações pode trazer em cada família, em cada caso individual?

As questões humanas são complexas começando por isso: dificilmente se pode estabelecer com justiça e justeza regras gerais, quando se trata de costumes, sentimentos, tradições, legados familiares emocionais e conceituais, tipos de relacionamento.

Estamos botando de pernas para o ar nossos conceitos: às vezes é preciso plantar bananeiras mentais para entender o que se passa, e descobrir o que deveríamos fazer. Na maior parte das vezes, temos de nos contentar com o que podemos realizar ou pensar.

Questionar é um bom começo.

Para que a resignação ou o ressentimento, acompanhados pela ignorância, não nos paralisem com seu hálito funesto."

Escrito por Giu às 12h45 AM
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   



BRASIL, Mulher







Histórico
  25/07/2004 a 31/07/2004
  04/07/2004 a 10/07/2004
  20/06/2004 a 26/06/2004
  13/06/2004 a 19/06/2004
  06/06/2004 a 12/06/2004
  23/05/2004 a 29/05/2004
  16/05/2004 a 22/05/2004
  09/05/2004 a 15/05/2004
  02/05/2004 a 08/05/2004
  25/04/2004 a 01/05/2004
  18/04/2004 a 24/04/2004
  11/04/2004 a 17/04/2004
  04/04/2004 a 10/04/2004
  28/03/2004 a 03/04/2004
  21/03/2004 a 27/03/2004
  14/03/2004 a 20/03/2004
  07/03/2004 a 13/03/2004
  29/02/2004 a 06/03/2004
  22/02/2004 a 28/02/2004
  15/02/2004 a 21/02/2004
  08/02/2004 a 14/02/2004
  01/02/2004 a 07/02/2004
  25/01/2004 a 31/01/2004
  18/01/2004 a 24/01/2004



OUTROS SITES
    Bebelo Roxo
  Blog de Deus
  Capitania
  Catarro Verde
  Danjel
  Defenestrando o inútil
  Depois dos vinte
  Dezessete do oito
  Eu diria que...
  John Paul
  Literalmente
  Mão Boba
  Parmalat mas não morde
  Plástico Bolha
  Pseudo-Epifanias
  Simulacro de Análise
  StuffBox
  War Fare State - Felipe UFF